domingo, 23 de setembro de 2012

Quando Deus aparece

Tenho muitos amigos que acreditam em Deus. Um deles, que é como um irmão para mim, comentou no facebook sobre um recital que estava assistindo. Tomando pela comoção do momento, ele finalizou a postagem assim: "Nessas horas Deus aparece".
Fiquei com essa frase na cabeça. De fato, Deus não está em promoção, se exibindo por aí. Ele escolhe, dentro do mais rigoroso critério, os momentos de aparecer pra gente. Não sendo visível aos olhos, ele dá preferência à sensibilidade como via de acesso a nós. Não sou católica praticante e ritualística... não vou à missa aos domingos nem faço novenas. Já houve um tempo em que eu fazia essas coisas com mais devoção, mas hoje Deus se expressa de outras formas.
Para mim, ele aparece através da música e nem precisa ser uma obra prima de Chico Buarque. Pode ser uma música popular mesmo, pode ser algo que toque no rádio, mas que me chega no momento exato em que preciso estar reconciliada comigo mesma. De forma inesperada, a música me transcende e me aproxima do divino.
Deus me aparece nos livros, em parágrafos que não acredito que possam ter sido escritos por um ser mundano: foram escritos por um ser mais que humano.
Deus me aparece (e muito) quando estou em frente ao mar. Tivemos um papo longo há mais ou menos 1 ano e meio, quando havia somente as ondas entre mim e ele. A gente se entende em meio ao azul, que seria a cor de Deus, se Ele tivesse uma.
Deus aparece num abraço apertado em que é possível se escutar os batimentos cardíacos.
Nesse exato momento, escuto "My Sweet Lord" e posso assegurar: a letra é um animado bate-papo com Ele, ritmado pelo rock'n'roll. Aleluia.
Deus aparece quando choro, quando a fragilidade é tanta que parece que não vou conseguir me reerguer. Aparece quando alguém me liga e eu tenho impressão de que essa pessoa está mais perto de mim do que o vizinho da frente. Aparece nas lambidinhas de Cleo e Alvin e , na voz tranquila do Petrilli, quando escuto uma criança chorar ao nascer. Deus aparece nas vitaminas que a minha mãe faz para eu ganhar peso e uma mãe é um atestado da presença desse cara.
E quando eu O chamo de cara e Ele não se aborrece... aí, sim, tenho certeza de que ele está comigo mesmo.

My Sweet Lord! Aleluia!

Bjo, bjo, bjo.

7 comentários:

  1. Lindo seu post de hoje!
    Realmente me tocou...

    Bom, beijinhos e até logo

    Vanessa
    http://qrolecionar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vaaan! Tudo bem com vc? Obrigada pelo carinho...
      Bjos e boa semana.

      Excluir
  2. Muito lindo esse post, me emocionou demais...
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mônica... obrigada pela visita e pelo carinho!
      Bjooos.

      Excluir
  3. Você sabe que amo o jeito e tudo que você escreve! E ainda estou na batalha "Faz um blog de moda", por favor! :)))) Bjssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog de moda... kkkkkk
      Má, um dia, quem sabe... vc me empresta sua Chanel pro look do dia? hahahaha...
      Bjooos.

      Excluir
    2. Clarooooooooo!!! Só não tenho Chanel, mas arrumo uma só para vc colocar no seu blog!!!! Vc escreve mais do que bem e tem estilo mais do que lindo... Logo, merece ter um blog de moda... Ou melhor, merecemos ter um blog de moda seu! ;P
      E simmmm, sou MA(la). Beijos beijos

      Excluir