quinta-feira, 26 de abril de 2012

Tempo, tempo, tempo, tempo...

Mais uma vez, andei sumida daqui e, novamente, a causa é nobre. Fiz 3 semanas seguidas de quimioterapia. Trêêêês... overdose para nenhuma veia colocar defeito (depois volto a falar sobre elas... hehehe).
Estou bem, considerando que meu corpinho recebeu doses elevadas de quimioterapia nos 2 ciclos do MTX e em 1 ciclo de Doxorrubicina, Carboplatina e Zometa. Meu estômago quis se rebelar, mas logo se conteve, poupando-me de um remake inesquecível do primeiro ciclo de quimioterapia: náusea, vômito... vômito, náusea e assim por diante... Mas isso tudo não passou de um susto e agora já consigo comer até vatapá (mentirinha... estou bem, mas nem taaanto... hehehe).
Como de costume, junto com a doxo e a carbo, veio a dor no corpo, o desânimo, o cansaço e aquela vontade incrível de ficar deitada o tempo todo, recebendo tudo na mão, na companhia de um bom filme. Fiquei assim de 2 a 3 dias, no aconchego do cobertor, curtindo o outono com gostinho de inverno de São Paulo.
Minhas mucosas finalmente deram uma trégua e, pela primeira vez (muita comemoração nesse momento), fiz MTX e não tive nenhuma mucosite... segundo meus dentistas, já era tempo de eu dar folga na odonto e nos raios milagrosos do laser... hehehehe! Depois de quase 5 meses de tratamento, percebi como é bom fazer uma quimio e não machucar a boca... como é boa a sensação de poder comer tudo (ou quase tudo) que você quer... como é bom, como é bom, como é bom... Conversando nessa semana com minha amiga Maria Flávia, recebi uma surpresa linda: ela vai fazer meu doce preferido assim que eu voltar... hehehe. Isso pode parecer pouco para muita gente, pode parecer exagero meu ficar tão alegre com essa notícia, pois parece algo tão simples. Mas não é. Só quem já passou por alguma privação, seja por limitação física, restrição médica ou qualquer outra coisa sabe o que são esses pequenos prazeres da vida.
No entanto, nem tudo nessas semanas foram rosas. Isso não é reclamação... já disse e repito aqui: não tenho do que reclamar e também não quero cair em lamentações. Mas geeeente... o que eu penei com minhas amadas veias nesses ciclos foi inesquecível. Não tenho catéter... o famoso "amigo do peito" que salva todo mundo das inúmeras furadas... então o que restaram foram minhas parcas e frágeis veias periféricas. Confesso que elas têm sido guerreiras, mas, como todo bom combatente, também cansaram... Depois de inúmeras sessões de quimio, incontáveis exames de sangue e alguns procedimentos que dependiam delas para injeção de constraste, minhas veias  começaram a dar sinais de falência. Nas últimas semanas, perdi a conta de quantas vezes se procurou por uma veia boa e nada dela aparecer. E aí tome de furada... nas mãos, nos braços e todos os lugares que representassem zonas anatômicas de encontro de ótimas veias... hehehehe! Nessa hora, o sofrimento não é só meu, mas de todo mundo: da minha mãe que fica apreensiva esperando a boa notícia de que finalmente acharam uma veia, de Verinha (minha amiga, a maior especialista no quesito veia) que não mede esforços para me ajudar, da equipe de enfermagem que não pode atrasar a medicação, de quem está à espera de Verinha e por aí vai... Portanto, se alguém souber de um fortalecedor de veias, favor avisar... estou necessitada!
Por fim, tudo deu certo... mais três ciclos na conta (ou menos... hehehe). E a cada passo dado, vamos sentindo o peso das costas diminuir, vamos percebendo que o tempo realmente é um grande remédio para nossos medos e incertezas. Nada como um dia após o outro... nada como ter paciência para esperar momentos melhores quando todas as luzes se apagam em nossa vida. Porque tudo nessa vida passa... pode parecer clichê, frase feita, pieguice, mas, acreditem, essa é uma das maiores verdades!



P.S.: Escrevi essa postagem há alguns dias. De lá para cá aconteceram outros fatos, mas isso eu conto em nosso próximo encontro... hehehe!

Bjo, bjo, bjo. 

8 comentários:

  1. Amigaaa que saudadeee! Precisamos conversaar!!
    Que bom que vc voltou a postar! Já tava ficando aaflita querendo mais e mais posts!
    Essa sua amiga Maria Flavia é por acaso Tia Fá, a mãe de Nana?? hahahahaha
    Ela é fofa, né? Amo amo amo!
    Amiga, vou ser madrinha no casamento de Ingrid!!! Preciso de vc aqui, vc sabe neh? Seu convite deve ser enviado na semana que vem.
    Estou com saudades... Mais que o normal (pode isso?)
    Beijoos

    ResponderExcluir
  2. Lindo flor...e é como vc falou mesmo...
    nesse momento o nosso melhor amigo além de Deus é o tempo...
    Força...
    No fim tudo fica bem...
    Bjo!

    ResponderExcluir
  3. Tô achando que essas drogas todas que vc tá tomando servem pra mau humor, porque acho que nunca te li assim... eu no seu lugar já teria chutado e coiceado, cheio-de-mim que sou, mas vc... beijo.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, Rê Linda!
    A cada post novo, surpreendo-me mais com a sua luta e determinação. Não vejo a hora de te fazer uma nova visita e ser sua companheirinha aí... :) Estou morrendo de saudades!
    Você está presente, todos os dias, em minhas oraçoes!

    Beijos, beijos, beijos!!! Duda e Bia mandaram beijinhos tb.

    ResponderExcluir
  5. Ah, já ia me esquecendo... Que foto lindaaaaa!! Amei!

    ResponderExcluir
  6. Ahhh Renatinha, sou seu fã! Estou na torcida para vc recuperar logo e nos brindar com sua cia e sua alegria
    bjos,

    Pedro (pepeu)

    ResponderExcluir
  7. Renata,
    Vagueando pelo Face, me deparo com a sua página, e me encantei com a sua história de vida.
    Ainda não conheci o seu blog completo, mas já quero te dizer que vc é uma pessoa iluminada .....
    Bjoka!
    *-*

    ResponderExcluir